Quiropraxia

O nome quiropraxia provêem do grego quiros (mãos) e praxis (exercer, praticar) e sua historia, de pouco mais de um século, torna-a um dos mais novos ramos da medicina e de difusão mais rápida nos últimos anos nos Estados Unidos.

Sua área de trabalho é basicamente a coluna e sua base científica, baseia-se no fato de que através da coluna vertebral passam centenas de fibras nervosas que conectam os diferentes órgãos do corpo humano aos receptores do cérebro.

O problema aparece quando “a coluna vertebral sofre desalinhamentos o que provoca distensão dos ligamentos e músculos, ativando os receptores da dor e enviando sinais excessivos ao sistema nervoso”.

“-Imagine que estes desalinhamentos podem provocar o fechamento dos espaços entre as vértebras, pressionando os nervos que por ali passam, interrompendo o fluxo nervoso, evitando que o sistema nervoso receba as informações exatas dos orgãos como pessoas que ficam isoladas quando as linhas telefônicas são interrompidas”.

Fora de linha

As razões para que a coluna vertebral perda sua homeoestasis, nome do equilíbrio natural na quiropraxia, são diversas: golpes fortes, infecções, inflamações, problemas congênitos (genéticos), má postura, etc.

Assim, adicionando todos esses fatores, as vértebras acabam inclinando-se, modificando sua posição original.

Para isso, usam-se técnicas manuais.

O processo,  inicia-se com a anamnesis (historia do paciente contada pelo ele mesmo), continua com um exame físico da palpação, termografia e análise postural e, aliás, uma análise radiológica.

O objetivo é encontrar as subluxações (desalinhamentos) das vértebras para poder ajustá-las no lugar devido.

Segundo o especialista, “artigos científicos comprovam a eficácia dos ajustes quiropráxicos, demostrando também melhora considerável nas patologias neuromusculares, como enxaquecas lesões cervicais, etc. Esses trabalhos dão a base aos princípios da quiropraxia como ciência”

História

A historia desta técnica é muito nova, há apenas um século (em 1895) o canadense Daniel Palmer estabeleceu-se como magneto-terapeuta e atendeu o caso do zelador do prédio onde trabalhava quem, em quanto carregava um peso, tinha sentido um som nas suas costas seguido da perda de audição.

No primeiro exame, Palmer viu que o paciente tinha um ferimento nas costas.

Depois, notou que tratava-se de um desalinhamento da coluna vertebral e utilizando um processo de palanca, retorno-a a seu lugar original. Dias depois, o paciente voltou a ouvir.

A partir desta descoberta, o filho de Palmer continuou as pesquisas em torno a quiropraxia e, posteriormente, fundou a Palmer School of Chiropractic, atualmente conhecida como a Palmer University.

E a esposa do descobridor, tornou-se a primeira quiropraxista escrevendo o primeiro livro de anatomia humana dirigida a recém estriada especialidade.

Atualmente, para chegar a ser um quiropraxista devem-se estudar ao mínimo quatro anos nos quais abrangem-se matérias como anatomia, neuroanatomía, técnica pélvica, ajuste das extremidades, radiologia, biomecânica, técnica cervical, técnica Toggle e jurisprudência, entre outros.